Institucional

Santo André

Santo André está localizada a 18 km do centro da capital paulista e a 55 km de Santos. A proximidade com a maior cidade do hemisfério sul e o maior porto da América Latina confere ao município andreense grande relevância para a história da industrialização do país. O município tem registrado forte crescimento populacional nas últimas décadas. Estima-se que a população de Santo André alcance 710.210 mil habitantes (IBGE/2015) , sendo uma das cidades mais populosas do Estado de São Paulo.

Com área de 175,782 km² (IBGE/2015), o município está inserido entre região do Planalto Paulista e a Serra do Mar, com altitude média de 760 metros acima do nível do mar. Por conta da proximidade com a cadeia montanhosa, há pontos que atingem mais de 1.200 metros de atitude.

A Prefeitura subdivide a cidade em três distritos: Sede (dividido em dois subdistritos), Capuava e Paranapiacaba/ Parque Andreense. Pouco mais de 38% de sua área é urbana, enquanto o restante constitui-se em zonas de proteção ambiental. O perímetro urbano do município é banhado por bacias hidrográficas: Tamanduateí, ribeirão dos Meninos e ribeirão Oratório. Na área de proteção de mananciais, predominam as bacias do rio Mogi e do Reservatório Billings.

As principais rotas de acesso ao município são as avenidas dos Estados, Industrial e Pereira Barreto. Santo André conta também com o trecho Sul do Rodoanel Mário Covas e três estações ferroviárias pertencentes à linha 10-Turquesa que ligam a estação do Brás a Rio Grande da Serra.

A demografia da cidade é composta por uma população que descende de imigrantes italianos, espanhóis, portugueses, japoneses e alemães. Antes ao período de forte imigração, as origens que predominavam eram de portugueses, indígenas e africanos, que persistem até hoje. Desde a década de 1960, a quantidade de pessoas que migram de outros estados aumentou, sendo os baianos, mineiros e paranaenses os migrantes mais numerosos. 

Histórico

Embora a criação do município de Santo André seja relativamente recente, a formação e a ocupação de seu território começaram no início do processo de colonização de São Paulo.

As referências históricas, entretanto, ressaltam duas épocas distintas. A mais remota refere-se à antiga vila de Santo André da Borda do Campo que, apesar da breve existência (1553-1560), teve papel fundamental na história do planalto. Instalada por João Ramalho, localizava-se entre São Paulo e as matas da Serra do Mar, em uma região cortada pelo caminho primitivo dos índios e meio estratégico para se chegar ao litoral. Os conflitos entre João Ramalho, os fundadores de Piratininga e os padres jesuítas causaram a extinção da vila de Santo André da Borda do Campo por Mem de Sá (governador-geral do Brasil). Seus habitantes foram transferidos para os campos de Piratininga, junto ao Pátio do Colégio, onde foi reerguido seu novo pelourinho.

A antiga vila permaneceu, assim, em completo abandono até que um grupo de itinerantes, chefiado por Antônio Pires Santiago, construísse uma capela em honra de Nossa Senhora da Conceição da Boa Viagem, criando um novo núcleo populacional, que depois formaria a cidade de São Bernardo do Campo.

A formação de Santo André atual, por sua vez, aconteceu no século XIX, com a passagem da Estrada de Ferro São Paulo Railway ou Estrada de Ferro Santos-Jundiaí, em 1861, e a criação do primeiro povoado da cidade, denominado Alto da Serra ou Vila de Paranapiacaba, vila histórica construída por ingleses na segunda metade do séc. XIX e tombada pelos órgãos municipal, estadual e federal de proteção ao patrimônio.

Seu centro histórico, propriamente dito, começou a se formar ao redor da estação ferroviária de São Bernardo em 1867. Toda essa região pertencia, na época, a São Bernardo e ganhou um grande impulso graças à inauguração de diversas estações locais, cujo papel era o de escoar a produção de café do interior para o litoral paulista. Apenas em 14 de dezembro de 1910, quando foi criado o distrito com sede no povoado da estação de São Bernardo, retomou-se a denominação Santo André, menção à antiga vila quinhentista.

O bairro da estação, naquele momento, destacava-se como o principal polo industrial do município de São Bernardo, atraindo fábricas de diversas modalidades e um operariado proveniente do interior do Estado. A proximidade com a estação, as terras planas do vale do Tamanduateí e os estímulos fiscais contribuíram muito para o desenvolvimento de Santo André. Em 1939, o município de São Bernardo teve sua sede transferida para o distrito de Santo André, acompanhada pela alteração do nome do município para Santo André.

Na década de 1940, surgem movimentos emancipacionistas que exigiam a emancipação dos distritos de Santo André. O primeiro a se separar foi São Bernardo que incluiu “do Campo” em seu nome. Articulações foram sendo feitas e movimentos em outros distritos ganharam força, resultando na criação dos sete municípios que hoje fazem parte do ABC Paulista.

Link

www.santoandre.sp.gov.br

www.saocaetanodosul.sp.gov.br

Galeria